Outubro Rosa

Postado em sexta-feira, 13 de Outubro de 2017

O Movimento Outubro Rosa nasceu nos Estados Unidos, na década de 1990, para incentivar e ampliar a conscientização sobre os cuidados com a saúde da mulher e a prevenção do câncer de mama. O objetivo é compartilhar informações que estimulem a discussão sobre o tema, divulgar informações relevantes e principalmente mostrar a importância do diagnóstico precoce.

O assunto é conhecido mundialmente e todo mês de outubro os monumentos espalhados pelo mundo como Cristo Redentor, Maracanã, Torre Eiffel, Torre de Pisa, entre outros são iluminados com a cor rosa para que a conscientização e divulgação da causa seja cada vez maior e considerável para toda a população, ajudando assim o aumento das estatísticas de descobertas precoces do câncer de mama, juntamente com o aumento das chances de recuperação e cura para as mulheres.

O Câncer de Mama

O câncer de mama é o tipo de câncer mais comum na mulher e sua incidência é uma das mais altas entre o assunto. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA) é o tipo de câncer que mais leva as brasileiras à morte. Quando o diagnóstico e o tratamento são iniciados na fase inicial as chances de cura do câncer de mama são enormes, por isso a importância do Outubro Rosa, para que a enfatização do diagnóstico precoce ajude a diminuir esses tristes números.

Dentre os fatores de risco conhecidos, é possível mencionar o histórico familiar, o aumento da idade, a menarca precoce, a menopausa tardia, nunca ter engravidado, etc. É fundamental ir ao ginecologista/mastologista periodicamente, realizar os exames de rotina, fazer o autoexame, buscar informações sobre maneiras de equilibrar o organismo, auxiliar o sistema reprodutor, endócrino e imunológico a funcionar da maneira mais correta possível.

Como o corpo feminino age quando há suspeita de câncer de mama?

O corpo humano nada mais é que uma maquina que precisa de sincronização para funcionar em perfeita harmonia, Quando algo não está totalmente harmonizado com o restante, o organismo costuma emitir sinais para mostrar que existe algo errado acontecendo. No caso do câncer de mama, a multiplicação anormal das células pode, a princípio, passar despercebida. Portanto, ficar atenta aos principais sintomas da doença garante maiores chances de cura e tratamentos menos traumáticos.

Sempre atenta aos sinais

Nódulos: o sinal mais lembrado quando o assunto é câncer – independentemente da região afetada – é o surgimento de nódulos, que são pequenos caroços. Apesar de haver nódulos benignos, é sempre bom procurar ajuda médica ao detectar a presença de um deles.

Afundamento do mamilo: essa parte do seio não pode apresentar mudanças, principalmente se houver retração ou afundamento.

Formação de crosta: quando a pele que fica junto ao mamilo apresenta alterações, como crosta ou feridas, é possível que haja o diagnóstico de câncer de mama.

Dor: embora existam fatores que desencadeiem dores nas mamas (como o uso de pílulas do dia seguinte e pancadas no seio), esse sinal deve ser tratado com atenção. Quando o câncer começa a avançar, é muito comum sentir sensibilidade e dor nos seios ao tocá-los.

Mudança no tamanho das mamas: perceber que um dos seios está maior que o outro, ou que ambos sofreram alterações no tamanho, é um dos sintomas que pode indicar câncer de mama. Portanto, esse fator requer atenção imediata.

Secreção no mamilo: apesar desse fator, muitas vezes, ser algo normal do próprio organismo e desaparecer sozinho, também pode indicar câncer de mama. A atenção deve ser redobrada quando a secreção vier acompanhada de odor forte em um ou nos dois mamilos.

Perda de peso inexplicável: emagrecer pode até ser a vontade de muitas mulheres, mas quando isso acontece sem nenhum tipo de esforço e de repente, é sinal de que o corpo está com alguma irregularidade. Nesse caso, o indicado é marcar uma consulta com um especialista.

Alterações na pele: vermelhidão, feridas, aspecto de “casca de laranja” e mudanças de cor na região da mama precisam ser levados em conta, uma vez que a pele que cobre o seio também sofre alterações que alertam sobre a possível presença do câncer.

Coceira frequente: o câncer de mama pode causar coceira sem causa aparente tanto no seio como um todo quanto apenas no mamilo.

Inchaço do braço: principalmente a região das axilas pode ser afetada com os edemas. Por isso, eles devem ser checados, mesmo que tenham causas variadas.

Atenção! Homem também pode ter câncer de mama!

Para algumas pessoas é estranho quando falamos que o homem também pode vir a desenvolver o câncer de mama. Mas sim, isso acontece e é muito mais comum do que você pode imaginar. O câncer de mama não é uma doença exclusivamente feminina, apesar de termos um índice muito maior nas mulheres, os homens também precisam se prevenir e fazer o diagnóstico precoce da mesma forma.

Os homens não realizam o exame da mamografia, que identifica se a pessoa possui ou não a doença. Ele é confirmado após a realização de exames e biópsias no paciente, que vem a procurar ajuda médica ao se queixar de alguns sintomas, como: protuberância ou inchaço; pele ondulada ou enrugada; retração do mamilo; vermelhidão e inchaço nos linfonodos axilares.

Essas alterações nem sempre são causadas pelo câncer. Por exemplo, a maioria dos nódulos de mama em homens é causada pelo aumento do volume das mamas, chamada de ginecomastia. Portanto, se você notar qualquer alteração, consulte imediatamente um médico para poder realizar o diagnóstico e analisar seu histórico clínico e familiar.

*O câncer de mama existe e ainda atinge muitas mulheres e homens no Brasil e no mundo, o mês de outubro foi o mês escolhido para enfatizar a conscientização do autoexame e do diagnostico precoce, porém precisamos tornar o Outubro Rosa cada vez mais presente durante todo o ano.*

PRATIQUE O OUTUBRO ROSA! Divulgue, previna-se, faça e contribua com a causa. E não se esqueça, caso o diagnóstico apareça, NÃO DESISTA! LUTE! VOCÊ NÃO ESTÁ SOZINHA!